25 de março de 2011



Depois de 12 anos, Salvador terá hoje um novo arcebispo. Numa cerimônia marcada para as 19h, na Catedral Basílica de Salvador, no Terreiro de Jesus, dom Murilo Kriger tomará posse do cargo que pertence a dom Geraldo Majella desde 1999 e será arcebispo primaz do Brasil. Antes da solenidade, os padres que ajudarão na celebração da missa se concentrarão na Igreja de São Domingos, de onde seguirão em procissão até o local.

A expectativa é que 2 mil pessoas assistam à transferência na catedral, além dos fiéis que acompanharão a cerimônia pelos três telões, instalados no Terreiro de Jesus e na sacristia. O título primaz é dado ao arcebispo de Salvador porque aqui sediou a primeira arquidiocese do Brasil.

Além do representante do papa Bento XVI no Brasil, o núncio apostólico, dom Lorenzo Baldisseri, confirmaram presenças na posse o governador baiano Jaques Wagner, o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, e os senadores Luiz Henrique da Silveira, Casildo João Maldaner e Paulo Roberto Bauer.

Católicos
Entre os fiéis da arquidiocese, a movimentação é intensa. Paróquias e movimentos leigos estão organizados e diferentes grupos montaram caravanas para participar da missa de posse. Um exemplo é a Paróquia São Paulo Apóstolo, no IAPI, que levará um ônibus com paroquianos para a catedral.

Ainda arcebispo, dom Geraldo Majella participa da solenidade, junto com cerca de 500 cardeais, bispos, autoridades civis e fiéis. “A chegada do novo arcebispo é um fato histórico, mas principalmente teológico. O bispo é um delegado do papa junto à Igreja, em uma diocese. Ele encarna, para nós, o próprio Cristo Bom Pastor”, explica o padre Manoel Filho, coordenador da Pastoral da Comunicação, que integra a comissão organizadora da posse.

A nomeação de dom Murilo foi publicada no dia 12 de janeiro, em Roma, pelo papa Bento XVI. Antes de assumir a arquidiocese de Salvador, dom Murilo ocupava o cargo de arcebispo de Florianópolis, função que exercia desde fevereiro de 2002.

Já dom Geraldo, se aposenta da função de administrar uma diocese e se torna bispo emérito, permanecendo na capital baiana. Desde 2008, era aguardada a nomeação de um novo arcebispo para Salvador, pois seguindo o direito canônico, ao completar 75 anos, em outubro daquele ano, dom Geraldo solicitou ao papa a aposentadoria.

CAMINHADA
O primeiro compromisso do novo arcebispo será no domingo, na Caminhada Penitencial. A atividade começa às 6h30 com uma celebração na frente da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio. Ao mesmo tempo, haverá outra celebração, na Igreja Nossa Senhora das Dores, na Suburbana.

Ao final das missas, os fiéis saem em procissão para se encontrar no Largo dos Mares e de lá seguirem juntos até a Igreja do Bonfim. Dom Murilo estará à frente da caminhada, que une dois grandes símbolos dos baianos: Nossa Senhora da Conceição, padroeira do estado, e Senhor do Bonfim.

Para animar os fiéis ao longo do trajeto da procissão, carros de som participam da procissão, que é repleta de gestos marcantes, como a passagem da cruz pelas mãos do povo e a doação de alimentos às Obras Sociais Irmã Dulce. Por causa da posse, a Transalvador fará algumas mudanças no tráfego da região. Das 5h às 23h, fica proibido o estacionamento de veículos no entorno do Terreiro de Jesus. O tráfego será interditado, das 17h às 23h, nas seguintes vias: Largo do Terreiro de Jesus, Rua do Saldanha e Rua da Oração.

Catarinense já é arcebispo há 14 anos
Catarinense, nascido na cidade de Brusque, dom Murilo já tem 14 anos de experiência no cargo. Sua primeira Arquidiocese, em Maringá (PR), assumiu em 1997, aos 53 anos. Cinco anos depois, em 2002, foi transferido para Florianópolis e hoje, aos 67, dom Murilo Sebastião Ramos Kriger assume a Arquidiocese de Salvador.

Sexto filho de nove irmãos, fez o primeiro e segundo graus no Seminário de Corupá, SC, na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Em 1964, ingressou nessa congregação e iniciou o curso de Filosofia. Em 1970, foi ordenado padre e começou a trabalhar em Taubaté (SP). Em 1985, foi nomeado bispo auxiliar de Florianópolis, pelo papa João Paulo II e em 1991 assumiu sua primeira diocese, em Ponta Grossa (PR).

Fonte: Correio da Bahia