21 de julho de 2010

O SACRAMENTO DO BATISMO



"Depois de oitenta anos de paganismo, um ancião encontrou a luz da fé, se converteu e recebeu o batismo. Dois anos depois caiu gravemente enfermo; todos se deram conta de que tinha chegado para ele o momento da morte. Alguém lhe perguntou quantos anos tinha, e respondeu: Tenho só dois anos de vida. Ninguém encontrava explicação para sua resposta, mas o ancião acrescentou: Não é assim tão difícil de se entender, pois comecei a viver ao receber o batismo; minha vida antes disso é como se não existisse". Este testemunho pode servir-nos para a introdução ao estudo do batismo, "sacramento da fé", "porta dos sacramentos", ou "porta da Igreja", como é chamado desde o início da Igreja, e para que saibamos dar a devida importância ao fato de termos sido batizados.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Os sacramentos da iniciação cristã

Já sabemos que os sacramentos da iniciação cristã são: o Batismo, que é o início da vida em Cristo; a Confirmação, que dá fortaleza e plenitude a esta vida, e a Eucaristia, que nos alimenta com o Corpo e o Sangue de Cristo para nos unir a Ele, transformando-nos até nos identificar-nos com Ele.

2. Sentido do batismo

São Paulo explica que pelo batismo morremos ao pecado e ressuscitamos para a vida nova da graça (cf. Romanos 6,3-11). Esta realidade se entende mais facilmente quando o sacramento é administrado por imersão, que é o entrar e o sair da água, significando a morte e a ressurreição do Senhor. De fato, todos nascemos com o pecado herdado de nossos primeiros pais, e como conseqüência, privados da graça; mas Cristo nos livrou com sua morte e ressurreição. Sua morte nos limpa do pecado e nos faz morrer ao pecado; sua ressurreição nos faz renascer e viver a vida nova de Cristo. O batismo é o sacramento que aplica a cada batizado os frutos da Redenção, para que morramos ao pecado e ressuscitemos para a vida sobrenatural da graça.

3. O que é o batismo

Quando Cristo enviou a seus Apóstolos por todo o mundo, disse- lhes: "Ide, pois,e fazei discípulos a todas as gentes, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" (Mateus 28,19). "O que crer e for batizado, será salvo; mas o que não crer, será condenado" (Marcos 16,16). O batismo é o sacramento instituído por Jesus Cristo, que nos faz seus discípulos e nos regenera para a vida da graça, mediante a ablução com água natural e a invocação das três Pessoas divinas. O batismo é o fundamento de toda a vida cristã, o pórtico da vida no espírito e a porta que abre o acesso aos outros sacramentos. A matéria deste sacramento é a ablução com água natural, e a forma são as palavras: "Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo".

4. Os efeitos do batismo

a) Apaga o pecado original. O batismo perdoa e destrói o pecado original com o qual nascemos todos; quando aquele que é batizado é adulto, apaga também todos os pecados pessoais assim como a pena por eles devida, de tal maneira que se o recém batizado morresse, iria diretamente para o céu.

b) Infunde a graça santificante. Pelo sacramento do batismo Deus infunde na alma a graça santificante -que é uma participação na natureza divina- , junto com as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo. Com estes dons a alma faz-se dócil e pronta aos impulsos do Espírito Santo. Pela graça, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo estabelecem sua morada na alma, que é templo do Espírito Santo.

c) Confere caráter sacramental. O outro efeito do batismo é o caráter, ou seja, certo sinal espiritual e indelével, que explica o fato de que este sacramento só possa ser recebido uma vez. O caráter batismal configura a Cristo, dá uma participação em seu sacerdócio, capacita para continuar no mundo sua missão como fiéis discípulos seus, e nos distingue dos infiéis.

d) Incorpora a Jesus Cristo. Tanto a graça como o caráter são efeitos sobrenaturais do batismo, que nos unem a Cristo como se unem os membros do corpo com a cabeça. Cristo é nossa Cabeça e o caráter nos vincula a Ele para sempre, enquanto que a graça nos faz membros vivos.

e) Incorpora à Igreja. Pelo batismo nos convertemos em membros da Igreja, com direito a participar na Sagrada Eucaristia e a receber os demais sacramentos; sem ser batizado não se pode receber nenhum outro sacramento. A Igreja é o Corpo Místico de Cristo, e o batismo nos incorpora a Cristo, que é a Cabeça, e a seu Corpo, que é a Igreja.

5. Necessidade do batismo

O batismo é absolutamente necessário para a salvação, como declarou Nosso Senhor a Nicodemos: "Em verdade, em verdade te digo, que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino dos céus" (João 3,5). Quando não é possível receber o sacramento do batismo, pode-se alcançar a graça para salvar-se pelo chamado batismo de desejo -um ato de perfeito amor a Deus, ou a contrição dos pecados com o voto explícito ou implícito do sacramento- e pelo batismo de sangue ou martírio, que é dar a vida por Cristo. Posto que as crianças nascem já com a natureza humana decaída e manchada pelo pecado original, é necessário que recebam o batismo. A pura gratuidade da graça da salvação se manifesta particularmente no batismo das crianças. Portanto, a Igreja e os pais privariam as crianças da graça inestimável de ser filhos de Deus, se não administrassem o batismo pouco depois do nascimento; assim se entende a necessidade de batizar as crianças o quanto antes. É o maior presente que se lhes pode dar, já que desde este momento são "para sempre membros de Cristo, sacerdote, profeta e rei" (Ritual do Batismo). Em relação às crianças mortas sem o batismo, a Igreja convida a ter confiança na misericórdia divina e a rezar por sua salvação.

6. Quem pode administrar o batismo

Normalmente, quem batiza é o pároco ou outro sacerdote ou diácono, com a permissão do pároco, mas em caso de necessidade qualquer pessoa pode faze-lo. Dada a importância e a necessidade do batismo, Deus deu todas as facilidades na administração deste sacramento; e assim, inclusive, uma pessoa não batizada, com tal que tenha a intenção de fazer o que faz a Igreja e o faça corretamente, batiza de verdade. A razão está em que sempre é Cristo quem batiza, como observa Santo Agostinho: "Batiza Pedro? Cristo batiza. Batiza João? Cristo batiza. Batiza Judas? Cristo batiza".

7. Modo de administrar o batismo

Ao administrar o batismo se derrama água natural sobre a cabeça dizendo, com intenção de batizar: " Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo". Na cerimônia do batismo existem diversos ritos, mas o essencial é o que já dissemos: derramar a água e, ao mesmo tempo, pronunciar as palavras.

8. Obrigações que o batismo impõe

Quando o batismo é administrado a crianças, respondem pelo neófito seus pais e padrinhos; mas o cristão adulto -sabedor dos efeitos do sacramento na alma- deve responder por si mesmo e estar firmemente disposto a viver como batizado. Esta resposta pode se concretizar em fazer atos explícitos de fé (recitando o Credo, por exemplo), propondo-se a guardar a Lei de Jesus Cristo e de sua Igreja e renunciando para sempre ao demônio e às suas obras, como se faz na Vigília Pascal, ao renovar as promessas do batismo.

9. Propósitos de vida cristã

  • Agradecer a Deus o dom do batismo. Inteirar-se do dia em que foi batizado, e celebra-lo.
  • Nunca esquecer que o batismo impõe a exigência cristã de conservar a fé e crescer na vida da graça, cumprindo fielmente os mandamentos da lei de Deus e os da Igreja.


Créditos:
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller


PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DO SACRAMENTO DO BATISMO


Atenção para os passos a serem dados:
1. procurar, com bastante antecedência, a secretaria paroquial para fazer a inscrição da criança, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, pelo telefone 3604-1034, levando a Certidão de Nascimento da criança.
2. pais e padrinhos devem fazer o encontro de preparação para a celebração do Batismo, o que pode ser feito muito tempo antes do batizado, até um ano antes do batizado.
3. lembrar que o Batismo é o primeiro passo da Iniciação Cristã, que irá completar-se com a 1ª Eucaristia e a Crisma.

AS CRIANÇAS

A Igreja batiza as crianças:
1. Se forem filhas de pais católicos ou de, ao menos, um deles (pai ou mãe católicos).
2. Se houver esperança de que, a criança, seja educada na religião católica. Se não houver esta condição, o Batizado deverá ser adiado e serão avisados, os pais, sobre os motivos.
3. É considerado Batismo de crianças quando estas ainda não chegaram ao uso da razão. Após os 6 ou 7 anos de idade, a criança deverá ser preparada ela mesma, por uma catequese própria, e a celebração do Batismo segue o ritual do Batismo de adultos.
4. Em caso de perigo de morte, realiza-se o Batismo de emergência para, depois, complementar na Igreja se a criança sobreviver.

OS PAIS

Para poder batizar os seus filhos na Igreja católica, precisam:
1. Ser católicos ou, ao menos, um deles (ou o pai ou a mãe).
2. Sejam legitimamente casados na Igreja.
3. Se não forem casados na Igreja e não houver impedimento para o casamento, deverão casar-se para depois realizar o Batizado dos filhos.
4. Se não forem casados na Igreja e houver impedimento para o casamento (já são casados na Igreja com outra pessoa ainda viva, etc.), exige-se que os padrinhos sejam católicos praticantes.
5. O mesmo exige-se quando a criança é filha de mãe solteira

OS PADRINHOS

Para poder ser padrinhos, deverão:
1. Ser católicos que já tenham realizado toda a Iniciação Cristã (BATISMO – 1ª EUCARISTIA – CRISMA)
2. Já tenham completado 16 (dezesseis) anos de idade.
3. Se forem casados, deverão ter casado na Igreja Católica.
4. Estejam dispostos a assumir os compromissos próprios de acompanhar a Iniciação Cristã dos afilhados.
5. Não poderão ser padrinhos, pessoas de outra religião, pessoas amigadas ou que não tenham vivência de fé.

ONDE BATIZAR?

1. Na Igreja da Paróquia onde moram os pais da criança.
2. Com razões válidas, em outra Paróquia, levando AUTORIZAÇÃO por escrito do próprio pároco e COMPROVANTE DA PREPARAÇÃO feita na própria Paróquia.
3. Na celebração do Batismo, todos são convidados a se apresentarem com roupas que demonstrem respeito e veneração pelo lugar sagrado da igreja e a dignidade do sacramento que se celebra, um comportamento nobre e respeitoso. São, então, dispensados toda conversa, todo decote, roupas transparentes e o uso de celulares e de chicletes.

QUANDO BATIZAR?

1. Recomenda-se que os pais católicos levem os filhos a batizar logo nas primeiras semanas de vida
2. Para tanto, os pais e padrinhos podem se preparar para o Batismo mesmo antes do nascimento da criança.
3. Quando não houver de todo esperança que a criança, após o Batismo, seja educada na fé católica, adia-se o Batizado até a oportunidade em que esta exigência seja superada.
4. Em perigo de morte, a qualquer momento realiza-se o Batismo de emergência por pessoa responsável.

CASOS ESPECIAIS

Sendo a criança filha de mãe solteira, de pais não casados na Igreja Católica, de pais desquitados, de pais não católicos etc., o caso será encaminhado ao próprio pároco para resolvê-lo particularmente.